Home » Itamaury Teles

Itamaury Teles – Meu nome e o de conterrâneos

22 novembro 2014 1.128 views 1 Comentário

itamaurytop

Meu nome e o de conterrâneos

Já escrevi crônica falando do porquê do nome que tenho. Primeiro, motivado pela antiga mania dos pais, de colocarem nos filhos nomes começados pela mesma letra. No nosso caso particular, os onze filhos foram batizados com nomes iniciados pelo elegante e de corpo longilíneo “I”.

A maioria dos meus irmãos, além disso, tinham o nome iniciado por “Ita”. Como fui o oitavo, inventaram um nome novo, fundindo “Ita” com “Amaury”, que era o nome do cestinha da seleção brasileira de basquete, no longínquo ano de 1954…

De outra feita, meu nome fora relacionado em extensa lista de “políticos com nomes estranhos”, quando me candidatei a deputado federal, em 2006. A lista rodou meio mundo, pelas ondas da internet, e fui alvo de muita gozação. Mas, como sempre, levei na esportiva.

De uns tempos pra cá, venho fazendo pesquisa interessante no Facebook, uma rede social na internet. Trata-se de identificar meus conterrâneos de Porteirinha apenas pelos nomes, como costumamos identificar “Manoeis” e “Joaquins” como nossos patrícios portugueses, ou nomes russos pela terminação em “ka”, “av”, “ov”, “sha” . Assim, Sashenka, Yaroslav, Dominika, Katiuska,Romochka, Aleska, Nicolai, Ivka, Boryenka, Milenka, Maruska, Bolodenka, Boryenka, Bogdashha, Tasha, Misha, Pasha, Markov, Petrov e outros que tais…

Já os nomes de meus conterrâneos mais jovens – que têm hoje, no máximo, 40 anos – ficaram bem fáceis de serem identificados, tal a quantidade de “n”, “m” e “l” dobrados, e profusão de “ph”, “k”, “w” e “y”. Outra forte característica é o de serem nomes compostos: Em 10 suspeitas, acerto oito. É uma técnica quase infalível.

Semana passada, fiz o teste, na minha lista de amigos do Facebook e na de amigos dos amigos.Vejam uma pequena amostra de nomes de porteirinhenses que garimpei: Kelly Krisllayanne, Meirielly Thatyanne, Elizzanna Shirley, Leyre Sabrina, Laila Winnie, Dyennes Kelly, Diulian Kenneth, Iara Montielle, Clewber Herbert, Sandy Gabriekke, Stepherson Matheus, Jhonnattah Jhoseffer, Ranfley Freitas, Jhenny Liver, Jennifer Karollayne, Mary Graciene, Cynthia Carollyne, Rayssa Loren, Laryssa Loren, Melyssa Loren…

E tem mais: Andesson Joseph, Karla Dannyanne, Alcileia Geziere, Fred Dust, Joice Juniely, Rivia Juliana, Emanuelle Realina, Leone Yara, Erleiane Lucinária, Islara Evelin, Carlaila Monikh, Lailany Khammylla, Alecx Wanúbio, Alex Starlonne, Andressa Raamonny, Arielly Duany, Bruna Kimberlly, Charlles Braw, Danny Hellem, Diego Dominiki, Dienefer Eduarda, Dyennefer Caroline, Dyennes Kelly, Edicassia Pelinso…

Mas ainda não acabou: Elisama Thaynara, Helleson Jander, Humphrey Silveira, Hyara Joinivilly, Jamile Ravaner, Janyelle Nayara, Jivago Bruno, Joicy Raiany, Josy Nathane, Káhh Thaisehh, Karina Graziella, Karine Raianny, Karla Myttaelly, Kauan Brenner, Keith Emanuelly, Kellyton Maykom, Layza Thamires, Leiriany Mayara…

Mas, onde estará a raiz dessa leva de porteirinhenses com nomes estrangeiros? Cá comigo tenho uma tese. A origem, o “epicentro”, estaria na casa dos meus pais. E explico: lá na primeira metade da década de 60, o Cine Palladium foi reinaugurado em Porteirinha. Tela cinemascope, cortina automática, teto com tratamento acústico etc… Na tela, desfilavam nomes de estrelas hollywoodianas: Sofia Loren, Elizabeth Taylor, Kim Novak, Doris Day. Concomitante a tudo isso, era época da Jovem Guarda, com Wanderleia, Rosemary, Nara Leão, Maria Bethânia e outras mais soltando a voz e encantando todo mundo…

Foi neste contexto que aconteceu a formação do primeiro nome estrangeiro em Porteirinha. Uma vizinha nossa, recém chegada da zona rural, onde fizera o curso primário, chamava-se Ivá. Quando foi matricular-se no curso ginasial, exigiram dela a certidão de nascimento. E ela não a possuía. Tinha apenas o batistério. Solução: fazer o seu registro civil, no Cartório de Arthur Fagundes. Mas que nome terá?

Foi aí que minha irmã Iolanda se adiantou, dizendo que poderia colocar nela um nome mais bonito, mais imponente. E, lembrando-se da cantora Rosemary e da atriz Elizabeth Taylor, não teve dúvida: sugeriu, a “seu” Pulu e à Dona Maria, o nome de Rosemary Taylor. Além de funcionária da agência local do Banco do Nordeste, ela é hoje esposa do meu amigo Stênio, odontólogo na cidade…

Para quem está em dúvida que nome colocar nos filhos prestes a vir ao mundo – e que tenha gostado da criatividade dos porteirinhenses -, a lista ora publicada não deixa de ter sua utilidade. Se forem feitas pequenas alterações nos nomes compostos apresentados, a lista crescerá bastante, com novos nomes como Joseph Wanúbio, Joicy Graziella, Kellynton Bruno, Elisama Mitraelly. Fácil, não?

Por último, não se pode olvidar terem esses nomes uma grande vantagem: dificilmente terão problemas de homonímia, aspecto importante nesses nossos tempos bicudos, onde abundam os emitentes de cheques sem-fundos…

*Itamaury Teles é escritor e jornalista
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Use Facebook para comentar esta notícia



1 Comentário »

  • Luiz disse:

    Se vc colocasse o nome de Alarico em um filho nos tempos de hoje? Ah…..ele iria te odiar.Mas….. e se vc colocasse o nome de Aury?

Deixe um comentario

Coloque o seu comentário abaixo, ou link de volta a partir do seu site. Pode também subscrever estes comentários via RSS.

ANTES DE ESCREVER SEU COMENTÁRIO, LEMBRE-SE: o site PorteirinhaNoticias.com.br nao publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei ou que não tenham relação com o conteúdo da notícia. Seja cordial. De sua opinião com responsabilidade!

Pode usar estas tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este site usa Gravatares. Para obter o seu proprio avatar-globalmente-reconhecido, por favor registe-se em Gravatar.